Um rosto

Versão na Língua Inglesa

Há um rosto diante de mim
Desgastado pela solidão constante
Marcado pelo imperdoável tempo
Desfigurado pelo auto-isolamento

Há um rosto diante de mim
Talvez seja o retrato do desengano
o símbolo da futilidade
os olhos do horror

Há um rosto diante de mim
Não consigo suportá-lo
Não consigo encará-lo
Não consigo escapar dele

Há um rosto diante de mim
Refletida no espelho

Devo quebrá-lo e me quebrar?
Devo embaçá-lo e me deixar sumir?
Devo virar-me e ir embora?

©2005 Eduardo Magela Rodrigues