Não posso

Versão na Língua Inglesa

A urgência de permanecer desamparado
A necessidade de ouvir a própria voz entre paredes vazias
O caminhar solitário através da eterna noite de uma alma exaurida
A cega queda no abismo sem fundo da tristeza controlada
Aonde estás indo?

Não posso penetrar em tua solidão voluntária

Não sou capaz de lhe oferecer qualquer tipo de luz
Estou aqui fora, esperando que minha voz rouca possa te alcançar aí em baixo
Minhas mãos ainda aguardam as tuas, para tirar-te deste buraco
Aonde estás indo?

Não posso tocar-te se não queres ser tocada

©2005 Eduardo Magela Rodrigues